As festas “julinas” ainda continuam.

Escrito por abracopel 9 de julho de 2019 0 comentários visto 2038 vezes

Apesar de já estarmos no mês de julho, em algumas regiões do país as festas “julinas” continuam acontecendo. Mas não podemos deixar de falar e alertar sobre os perigos que estas festas envolvem.

“Pula fogueira iá, iá…”

Barraquinhas de salgados e doces típicos, brincadeiras para as crianças e adultos, união, festa, tudo girando em torno da diversão familiar, ótimos momentos para passarem juntos. O problema nessas festas é na montagem das “inocentes” barraquinhas, são montadas por pessoas despreparadas, que não possuem nenhum conhecimento elétrico e acabam colocando suas vidas e de todos os participantes da festança em risco.

Importante lembrar que a montagem da festa deve ser feita com segurança, isso vale para qualquer tipo de festa. [ O balão vai subindo]

Barracas, palcos, arquibancadas, todos devem ser montados com uma distância mínima de 1,5m em relação à rede aérea. Outro ponto importante, que deve ser muito observado é que os operários que atuam na montagem fiquem atentos ao manusear vergalhões e qualquer outra peça metálica, pois, estas podem tocar na rede elétrica, e ai, é morte na certa.

Bandeirinhas também são lindas para enfeitar o ambiente e deixar o “arraiá” mais colorido, mas também não devem ser pendurados em postes de energia, ok?

Os famosos “gatos”

foto do portal grnews

Ah, não podemos deixar de mencionar aqui as ligações clandestinas, os famosos “gatos” que existem nesses eventos. O risco de acidente com eletrocussão é muito grande e pode fazer com que a festa se torne uma tragédia.

Quando pensamos nos locais onde as festas são realizadas, normalmente nos deparamos com escolas, igrejas (áreas externas), ruas e praças. Mas, de acordo com dados da Abracopel – Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade – no ano de 2018 os acidentes nestes locais chegaram a 176 ocorrências que tiraram 82 vidas. Claro, não foram todas em festas juninas, mas certamente encontraremos pessoas que morreram ao pisar em fios desencapados no chão dessas festas, ou tocaram em barracas energizadas por instalações elétricas feitas de qualquer jeito.

Se somarmos à estes acidentes aqueles ocorridos em áreas rurais, sítios e fazendas onde muitos “arraiás” são feitos, somente em 2018, foram 120 ocorrências com 101 mortes. Ao todo somamos 193 mortes em locais possíveis de se realizar uma festa junina.

Lembre-se

Estamos aqui falando somente de acidentes com choques elétricos. Se acrescentarmos os acidentes que envolvem incêndios ou princípios de incêndios gerados por sobrecargas de energia nas instalações elétricas temos, em 2018, um total de 40 ocorrências nos mesmos  espaços acima citados.

Aqui vai um lembrete importante do diretor-executivo da Abracopel, Eng. Edson Martinho: “Um alerta para os pais que vão participar de festas juninas com seus filhos: ao chegar ao local prestem atenção em todo o entorno da festa. Observem a estrutura das barracas, vejam se não existem fios de energia passando por locais onde vocês irão pisar, gambiarras não fazem parte da festa. Fique atento, afinal só é preciso um descuido para o acidente acontecer!”

Conheça mais sobre o nosso trabalho e nossa missão através do nosso site e de nossos artigos.

Saiba mais sobre os acidentes de origem elétrica, que ocorreram no ano de 2018, em no Anuário Estatístico Abracopel de Acidentes de Origem Elétrica.

Junte-se a nós e nos ajude a conscientizar a todos sobre os perigos que envolvem as instalações elétricas.

Siga a Abracopel nas redes sociais: @abracopel

Eletricidade é coisa séria, não brinque com a vida.

Siga-nos

parceiros Abracopel

parceiros Abracopel

Vídeo

Webinar - Contratando profissionais que atendam a NR-10