SER MÃE É TAMBÉM SER CONSCIENTE

Escrito por abracopel 27 de janeiro de 2016 0 comentários visto 713 vezes

Sou mãe de um pequeno de 6 anos. E como a maioria das crianças, ele é muito arteiro, inquieto, curioso, explorador.

Tudo isso é ótimo. Sinal de saúde, certo? Certíssimo! Fico muito feliz vendo meu pequeno crescer e se desenvolver, explorando o mundo à sua volta. Mas, também sou uma mãe consciente e alerta! Muito alerta!

Eu sei que muitas mães podem até me criticar por dizer algo ‘tão natural de toda mãe ser’. Afinal, que mãe não é alerta em se tratando de seus filhos? Certo? Infelizmente, a resposta é: errado!

E digo isso com dor no coração. A mesma dor que sinto quando abro meus alertas de notícias para computar os dados estatísticos de acidentes com eletricidade pela Abracopel e me deparo com notícias de crianças eletrocutadas dentro de casa.

Sinto muito, mas não consigo aceitar. Não consigo achar normal, obra do destino, uma fatalidade. Não aceito nem a palavra acidente. E sabe por quê?

Por que na esmagadora maioria destes casos específicos de morte por choque elétrico, o ‘acidente’ não teria acontecido se um adulto tivesse observado um fio descascado, uma tomada sem proteção, uma gambiarra ligando um eletrodoméstico em outro, um fio passando por uma área molhada. Todos estes cenários e muitos outros são armadilhas, mas também são chamarizes para as crianças, principalmente as pequenas. Elas olham o fio, pegam e fazem o que? O que toda criança pequena faz: coloca na boca!

Eu sei que é uma tarefa ‘inglória’ para nós, mães. Eu sei também, que no menor dos descuidos, tudo pode acontecer. Eu sei! Mas não podemos nos dar ao luxo de um descuido, principalmente quando o assunto é eletricidade!

Vários outros acidentes dentro de casa são perigosos e até fatais. Mas nenhum deles leva uma vidinha tão rápido quanto um choque elétrico.

Pense nisso, mamãe! Dê uma vasculhada na sua casa e procure identificar os problemas com eletricidade: tomadas sem proteção, benjamins lotados de tomadas, extensões de fácil acesso.

E aqui vai uma dica técnica que talvez você não saiba, mas que pode ser a solução para sua ‘neura’ em ter uma casa segura quando se fala em eletricidade. Peça para um profissional eletricista instalar um DR na sua casa.

DR? O que é isso? O Dispositivo Diferencial Residual ou DR é um aparelhinho parecido com um disjuntor. Este dispositivo detecta fugas de corrente, – quando ocorre vazamento de energia, desarmando o circuito onde está ocorrendo o problema, evitando que uma pessoa possa levar um choque.

É coisa de milissegundo, acredita? Se seu bebê estiver colocando uma chave em uma tomada, o DR vai desligar tudo, impedindo que a corrente elétrica chegue até ele. Não é incrível?

Você sabia disso, mamãe? Sabia que no Brasil este dispositivo é obrigatório desde 1997? Pois é, e você nunca ouviu falar.

Mas não é só você não, a maioria das pessoas não conhece e nem sabe que este maravilhoso aparelhinho existe. Mas sabe o que é pior? Pior é quando um profissional consciente te orienta a instalar o DR e você acha que ele é caro! Vamos combinar que um aparelho que custa de R$ 80,00 a R$ 200,00 sai bem mais barato do que um enterro, certo? Peguei pesado? Mas, tenho certeza que você não vai esquecer!

Bom, comecei este artigo pensando em falar de proteção contra eletricidade perigosa para nossos pequenos. Espero que você tenha lido, pensado e se conscientizado. E mais importante: que compartilhe estas informações com todas as pessoas que você puder. Combinado?

Então só me resta deseja à você, um feliz e muito, muito seguro Dia das Mães!

Siga-nos

parceiros Abracopel

parceiros Abracopel

Vídeo

Webinar - Contratando profissionais que atendam a NR-10